Viagem de carro entre EUA e Canadá

Optamos pelo carro pelas seguintes razões: praticidade e conforto, além de preço atraente

Viajar de carro em países estrangeiros pode gerar diversas dúvidas. Ainda mais quando fronteiras entre duas nações serão cruzadas ao longo da rota. Quando planejei fazer uma viagem de carro de 11 dias por Estados Unidos e Canadá junto com Rodrigo (meu noivo e quem faz as fotos do site), pesquisamos bastante antes de fechar nosso roteiro e também pesamos se valia a pena escolher entre um veículo alugado, avião ou trem.

Depois da pesquisas, decidimos alugar um carro para sair de Nova York dia 31 de março (2017) e devolvê-lo na mesma cidade em 11 abril (2017). Após nossa saída, as paradas foram: Niagara Falls, Canadá; Toronto, Canadá; Cidade de Quebec, Canadá; Mont Sutton, Canadá; Nashua, Estados Unidos e Central Valley, Estados Unidos. Os detalhes da rota estão abaixo.

Nova York – Niagara Falls, Canadá = 662 quilômetros

Niagara Falls – Toronto = 131 quilômetros

Toronto – Cidade de Quebec = 805 quilômetros

Cidade de Quebec – Mont Sutton = 276 quilômetros

Mont Sutton – Nashua, já nos EUA = 344 quilômetros

Nashua – Central Valley = 376 quilômetros

Total= 2678,5 quilômetros

Mapa do roteiro que fizemos entre EUA e Canadá

O que pesou na nossa decisão? A praticidade e o conforto de um carro. Adoro viagens de trens, porém, pelo Canadá, há franquia de bagagem, assim como nos aviões. Além disso, locar um carro nos Estados Unidos é muito econômico (preços mais adiante). Já era outono no hemisfério norte, mas fazia uma onda de frio fora de hora e as temperaturas estariam muito baixas. Como Rodrigo e eu somos grandes e gordos, nossas malas são bem pesadas, ainda mais com roupas quentes. Por isso, achamos mais práticos apenas tirar as malas do carro para os hotéis do que ter que nos preocuparmos com isso em aviões e trens.

O que é preciso para locar um carro nos EUA ou Canadá?

O ideal é ter mais de 21 anos. Se tiver 19 ou 20 anos, até consegue alugar um carro, mas não de todas as categorias, apenas os mais básicos. É preciso que o condutor tenha um cartão de crédito internacional válido que será apresentado no momento da retirada do veículo e usado para todas as eventuais cobranças. A Carteira Nacional de Habilitação do Brasil deve ser apresentada e ter sido expedida há mais de um ano e não estar vencida. Existe a Permissão Internacional para Dirigir (PID), expedida pela Detran e com taxa, que é recomendada para quem quer dirigir no exterior, porém, nunca tivemos necessidade de apresentar esse tipo de documento. Na hora da locação também é pedido o passaporte válido de cada condutor. É bem simples, quase nada burocrático.

A escolha da locadora e do carro

Como antes de sair de Nova York nós passaríamos alguns dias na cidade, queríamos uma locadora com loja no centro de Manhattan. Nova York é um destino que pode muito bem ser desbravado caminhando e com o transporte público, além disso, o trânsito na cidade é caótico e os estacionamentos caros, então não compensava alugar um veículo desde o aeroporto.

Optamos pela Hertz  pela quantidade de lojas e melhores opções de veículos dentro de Manhattan. A unidade que escolhemos ficava bem perto do nosso hotel, umas 3 quadras, no número 310 East da rua 48. Nossa tarifa escolhida era a All Inclusive Light, que incluía milhas livres, LDW (proteção contra perda, roubo, danos e colisão, LIS (proteção contra terceiro), taxas obrigatórias e um motorista adicional. Não pedimos GPS porque, como estávamos com chip de celular dos EUA, usamos o Google Maps e Waze, que funcionavam muito bem. Fiz todas as cotações pelo site da empresa: https://www.hertz.com.br/rentacar/reservation/

Se quiser cotar em várias empresas, sugiro o site da Reservecar, ele mostra as melhores opções de preços em diversas empresas diferentes. Só clicar aqui.

A Hertz tem diversas lojas em Manhattan

O total da nossa locação, pegando um carro categoria Q4 na manhã de 31 de março e com devolução na noite de 11 de abril na mesma loja de retirada, ficou em US$ 457,60 pagos no Brasil, já transformados em real com a cotação do dia e parcelado no cartão de crédito. Desse total, a Hertz nos deu um desconto de 12% por conta da experiência do blog. De qualquer maneira, sem o desconto, o valor a ser pago seria os US$ 457,60 mencionados. Foram 11 diárias cobradas, o que sairia, sem o desconto US$ 41,60 por dia.

Nós costumamos sempre a alugar carros econômicos, porém, como nosso roteiro era muito extenso e Rodrigo é alto, optamos, dessa vez, por um carro mais confortável. Sendo assim, escolhemos a categoria Q4, que tem veículos considerados mini SUV. Pode ser o Jeep Compass ou outro similar. No nosso caso, pegamos um Nissan Rogue. Além do conforto, ele é automático, aliás, acho que nem existe carro manual para alugar nos EUA.

Carro alugado da categoria Q4. Pegamos o Nissan Rogue

Fronteira

Para cruzar a fronteira dos Estados Unidos com o Canadá não é cobrada nenhuma taxa adicional desde que o carro seja devolvido no mesmo país que foi locado. No Brasil, só nos disseram para avisar que iríamos cruzar a fronteira na hora de retirar o carro. No guichê da Hertz apenas nos alertaram para ficar sempre com os papéis de locação e documento.

Os brasileiros precisam de visto de turista tanto para os Estados Unidos como para o Canadá, então, é importante estar com os documentos em mãos, óbvio. Na entrada para o Canadá via Niagara Falls, quase não houve perguntas na aduana. A agente apenas quis saber em qual cidade estávamos previamente e quanto tempo ficaríamos no Canadá.

Na volta para os EUA, passamos por uma fronteira bem pequena entre o Estado canadense se Quebec e Vermont, nos Estados Unidos. O agente da aduana fez algumas perguntas, como se tínhamos frutas e produtos alcoólicos no carro. Ele também não conseguia achar meu carimbo de chegada no Aeroporto de NYC, que estava realmente um pouco apagado, e pediu que eu o encontrasse. O carimbo do Rodrigo estava bem visível e ele não perguntou nada.

Em caso de alugar o carro nos EUA e devolver no Canadá e vice-versa é cobrada uma taxa bem cara de devolução em outro país, isso acaba encarecendo bastante a viagem. Como íamos devolver no mesmo local de retirada, o valor era normal. No Canadá, em nenhum momento, tivemos problemas por usar um carro dos EUA e nem nos pediram documentos.

Rodovias e pedágios

As rodovias nos EUA e Canadá, pelo menos as quais pegamos, eram perfeitas. Nada de buracos ou remendos nas pistas. Limite de velocidade? Quase não víamos e também foram poucos radares ao longo da jornada. Rodrigo sempre mantinha uma velocidade por volta dos 100km/h, porém, havia carros que estavam muito mais velozes. Porém, como não conhecíamos nada, tomamos bastante cuidado.

Os pedágios, principalmente no Canadá, são, basicamente, inexistentes. Se gastamos 5 dólares canadenses em todo o trajeto foi muito. Nos Estados Unidos pagamos um pouco mais de pedágio, acho que uns US$ 40 contando ida e volta. Os pedágios mais caros estão na entrada para Nova York, coisa de US$ 20 ou US$ 25. É possível acionar nos carros aqueles sistemas para passar direto nos pedágios, sem precisar parar e o valor cai no cartão. Não usamos, pagamos tudo em dinheiro mesmo.

As paradas nas rodovias são abundantes. Geralmente, há placas avisando quais são os serviços oferecidos nas paradas seguintes, como postos de gasolina ou lanchonetes. Principalmente nos EUA, há vários restaurantes Wendy´s. Já no Canadá tem a cafeteria Tim Hortons, que serve café da manhã, almoço e jantar, e Burger King.

As rodovias eram incríveis, apenas em alguns passeios pegamos estradas menores. Na foto, a Ilha de Orleans, em Quebec

Estacionamento nas cidades do roteiro

Em Nova York não ficamos com o carro, só pegamos e devolvemos, os estacionamentos tem diárias em torno de US$50. Em Niagara Falls, o centro da cidade é bem cheio, é recomendado deixar o carro no estacionamento do hotel e fazer os passeios caminhando. Apenas se optar pelo passeio de helicóptero com a Niagara Helicopters, use o carro, pois o local de saída fica distante do centro e a empresa oferece estacionamento grátis. Os hotéis costumam ter estacionamento também, cobram em torno de 10 dólares canadenses ou o uso é liberado. No meu, o Days Inn Niagara Falls Near the Falls, meu estacionamento acabou sendo gratuito.

Em Toronto há diversos estacionamentos públicos com valores atrativos. Havia estacionamento no meu hotel, o Novotel Toronto Centre, porém, ao lado tinha um público. Na primeira noite, como era tarde, deixamos no hotel mesmo, depois transferimos para o público. Era 12 dólares canadenses a diária, coisa de R$ 32. Para localizar os estacionamentos públicos, tem um site bem legal, é esse aqui. É só colocar um endereço que ele coloca as opções ao redor, ele mostra facilmente o preço por hora de cada um, para ver as diárias, selecione a aba “rates”.

Na cidade de Quebec também há vários estacionamentos públicos. Porém, estava nevando e fazendo muito frio na cidade, sendo assim, optamos por deixar o carro no estacionamento do nosso hotel mesmo, o Auberge Saint-Antoine, com vagas cobertas e manobrista. Custava 30 dólares canadenses, algo como 78 reais a diária. Era um pouco caro, realmente, mas foi bem confortável e, apesar de não haver necessidade de carro para os passeios na cidade em si, conseguimos ir até a Ilha de Orleans, que é incrível.

Em Sutton, a cidade com o centro de esqui Mont Sutton, não há problemas de estacionamento. No nosso hotel, o Auberge Sutton Brouërie, tinha estacionamento gratuito e a estação de esqui também.

Nas paradas para compras em Nashua, Estado de New Hampshire, e em Central Valley, não pagamos estacionamento em nenhum shopping, outlet ou supermercado.

Quer saber mais sobre Niagara Falls? Tem matéria completa aqui: http://viajaresimples.com.br/news/tudo-sobre-a-incrivel-niagara-falls-canada/

Vai passar por Toronto? Todas as dicas aqui: http://viajaresimples.com.br/news/toronto-pela-primeira-vez/

Seu destino é Nova York? Roteiro de quatro dias completos aqui: http://viajaresimples.com.br/news/roteiro-nova-york/

Gasolina

Para rodar os mais de 2500 quilômetros gastamos em torno de R$ 800 de gasolina. Nos EUA é um pouco mais barato abastecer que no Canadá. Em ambos os países não há frentistas, temos que descer do carro e encher o tanque. As máquinas de autoatendimento aceitam cartões de crédito internacionais, porém, se quiser pagar em dinheiro, como fizemos muitas vezes, é preciso liberar o pedido com o atendente que fica dentro das lojinhas de conveniência de cada posto.

Nosso carro alugado na Hertz, o Nissan Rouge, fazia até 11 quilômetros por litro. Essa também foi a razão por escolhermos ele. Os veículos da mesma categoria geralmente gastam essa quantidade de combustível, sendo que os das categorias de carros maiores, como SUV´s já consomem muito mais. Claro, se mais pessoas estivessem viajando conosco teríamos que optar por um carro maior, mas como éramos só duas pessoas, o Rouge nos atendeu bem e tinha um bom custo/benefício.

Tem que abastecer sozinho nos EUA e no Canadá

Multas

Dessa vez, não levamos nenhuma multa. Mas em outras ocasiões de viagens pelos EUA já levei. Cada Estado ou cidade costuma ter suas políticas. Em alguns a multa já sai no cartão de crédito deixado na empresa de locação. No caso da multa que levamos uma vez por parar em local proibido, em Beverly Hills, Califórnia, deixaram um aviso no carro com um site no qual deveríamos entrar e pagar a multa com cartão de crédito. Por isso, fique atento às cobranças de seu cartão crédito.

Dirigindo no exterior e com neve

Como as rodovias eram boas e o carro automático, Rodrigo achou muito fácil percorrer grandes distâncias em um dia, como o trajeto de mais de 800 quilômetros entre Toronto e Québec que fizemos em dez horas, com paradas para refeições. Pegamos estrada com neve, principalmente, perto de Quebec. É um pouco mais difícil dirigir para quem não está acostumado. Mas as rodovias recebem produtos adequados para a neve não se acumular e só é preciso ser mais cauteloso. Em casos extremos, quando a nevasca é muito intensa, as rodovias são fechadas.

Os veículos alugados costumam ser equipados com uma espécie de “rodo” que serve para tirar o excesso de neve dos vidros em caso do carro ficar algum tempo parado em área descoberta. Se o seu carro passar a noite sem cobertura e nevar muito, calcule uns 10 minutinhos pela manhã para limpá-lo.

Neve cobriu nosso carro na cidade de Sutton

Paisagem e liberdade

Outros pontos positivos de uma viagem de carro são: poder ver a paisagem e liberdade de decidir horários. No avião, só temos paisagens bonitas no pouso e decolagem. E, seja de trem ou voando, lidamos com horários rígidos. Com o carro, se aparece um cenário bonito, podemos apreciar, parar e tirar fotos. Uma grande surpresa do caminho foi passarmos em meio ao Franconia Notch State Park na Floresta Nacional de White Mountains. Ficamos com vontade de parar e ver o que o parque tinha a oferecer, pois era um lugar lindo. Porém, não estava na nossa programação, mas, com certeza, já nos deu ideias de novos roteiros, que não teria surgido se estivéssemos voando.

Para fazer cotações de aluguel de carros nos EUA, clique aqui!

Franconia Notch State Park em New Hampshire

Psiu, vai passar por Niagara Falls? Veja aqui vídeo do nosso passeio de helicóptero

Texto: Sylvia Barreto

Fotos: Sylvia Barreto e Rodrigo Barrionuevo

*Tivemos desconto de 12% na locação do carro pela Hertz

 

78 comentários sobre “Viagem de carro entre EUA e Canadá

    • Oi, Érico, os pneus eram os comuns do carro mesmo, não tem opção de pneus diferentes. A única coisa especial p neve que vinha no carro era um tipo de pá para tirar a neve que acumula nele, mas nem precisamos pedir.

      • Sobre os pedágios no Canadá -li que são eletrônicos não há cabines como vcs pagaram os pedágios? habilitaram o platepass?, vcs utilizaram qual via para ir de Toronto a Quebec?

      • Olá! Pelo menos no meu trajeto não havia pedágios eletrônicos apenas, sempre passei por aqueles com cabines e um atendente, foram bem baratos. Fomos pela via principal, a 401, e fomos seguindo as placas, pegamos, depois do meio do trajeto, a 30 até Québec, é muito tranquilo o caminho. Boa viagem!

    • Oi, Camila, que bom que gostou! Eu reservei por aqui mesmo, pesquisava tudo pelo site da Hertz (acho que ele direciona automático p Brasil qd lê seu IP) e fechei por e-mail porque a assessoria de imprensa me ajudou, mas pelo site também dá para fechar. Minha reserva foi feita um mês antes da viagem.

  1. Ola…seu post foi o melhor q vi até agora. ..muito bom
    só precisava saber quanto em média ficaram os gastos da viagem pro casal, pois pretendo fazer essa rota (com algumas alterações) por 12 dias…
    Poderia me dizer, se não for incômodo?
    obrigado e Parabéns pelo blog

      • Oi, Jessica, tudo bem? Em relação ao carro, gasolina + pedágios (que são poucos) gastamos pouco menos que 2000 reais. De refeições para dois em 17 dias de viagem (ficamos alguns dias em NYC sem carro) gastamos em torno de 3200, pode colocar uma média de 25 dólares (dos EUA) ou do Canadá por pessoa e por refeição para ter uma folga. Sobre hotéis, não tenho essa conta porque fiz parceria com alguns e também tinha pontos em programas de fidelidade e troquei por hospedagem. Mas posso te passar algumas ideias: Nyc, se quiser ficar em Manhattan mesmo a diária gira em torno de 150 dólares, indico a rede Apple Core que tem 4 hotéis econômicos e bem localizados. Em Niágara, Toronto e Quebec os preços são bem menores. Em Niágara fiquei no Days Inn Niágara Falls Near the Falls (diárias a partir de 150 reais). Em Toronto fiquei no Novotel e, em Quebec, no Auberge Saint-Antoine, mas são hotéis econômicos. Aqui no blog você consegue ver posts sobre alguns deles.

  2. Nossa, que fera! Muito obrigada pelas informações. Vou procurar esses posts sobre hotéis. Ainda não entendi se vocês dormiram em todas as cidades do percurso, ou se em algumas vocês só passaram mesmo… pq se não talvez não dê pra aproveitar muito bem cada destino, né? Ah, e última coisa, vc fechou os hotéis já daqui do Brasil?? Amei o blog, de verdade, parabéns

  3. Olá
    Vou fazer uma viagem muito parecida com a de vocês, vou com meu esposo e um casal de amigos.
    Queria saber como fizeram para solicitar o visto canadense?

  4. Olá!

    De todos os post´s ou seu sem sombra de dúvida é o MELHOR!!!!

    Gostaria de sua ajuda para verificar se este roteiro que farei é conveniente (viajarão comigo minha esposa, e dois filhos 15 e 9 anos). Alugarei o carro em Boston e vou direto para:

    * Niaraga Falls, Canadá (752 km) ficaremos 2 dias;
    * Niaraga x Toronto (128 km) ficaremos 3 dias;
    * Torono x Ottawa (460 km) ficaremos 2 dias;
    * Ottawa x Montreal (200 km) – Ficaremos 3 dias;
    * Montreal x Quebec (263 km) – Ficaremos 2 dias;
    * Quebec x Boston (635) – chegamos ao destino final. – total de 12 dias.

    Na sua opinião a quantidades de dias para cada cidade está de bom tamanho ou devo mudar? Na sua experiência o roteiro é agradável?

    Posso fazer o roteiro invertido também começando por Quebec e finalizando em Niagara Falls.

  5. Oi, Wesley, tudo bem? Que bom que gostou do post. Sobre seu roteiro, adorei. A única coisa é que dois dias para Quebec ficará bem corrido, a cidade é linda, fiquei apaixonada, mas prepare-se para correr bastante. Niagara Falls fiz em apenas um dia, mas como você está com crianças, acho que dois dias é mais adequado, a cidade é bem cheia de construções chamativa, acho que elas vão gostar, além das Cataratas, que são incríveis. Se for a sua primeira vez em Toronto, indico a leitura da matéria que fiz sobre a cidade do site Viajar é Simples (que é ligado ao blog): http://www.viajaresimples.com.br/randomico.php?id=125 – Todos os passeios que indico lá acho que são bem legais para crianças, elas vão amar o museu e o aquário. Fora isso, Toronto é uma capital vibrante, fiquei apaixonada. Se quiser fazer o roteiro contrário, acho válido também. Ah, se quiser fazer compras, uma dica, dá uma paradinha em Nashua, cidade do Estado de New Hampshire e bem pertinho de Bosto, aqui tem link com as dicas: https://viajaresimples.wordpress.com/2017/06/01/compras-sem-impostos-perto-de-nova-york-e-boston/

    Boa viagem!

  6. Parabéns pelo post.
    Pretendo fazer uma viagem de carro com a família (quatro adultos) em maio do ano que vem, saindo de NYC e retornando para NYC, assim como vocês. A princípio faríamos NYC, Washington, Pittsburg, Buffalo (Niagara Falls do lado americano), Syracuse, Albany, Boston, Cape Cod e volta NYC.
    Comecei a ler que o lado canadense da Niagara Falls é bem mais bonito (é mesmo?) e, se já estávamos no Canadá, porque não conhecer mais?!?!?!? Então me deparei com seu roteiro que se encaixa ao meu tempo (10 dias fora NYC).
    Quais suas dicas de onde parar/gastar tempo? De Montreal para NYC, tem coisas legais para ir parando ou compensa mais fazer meio direto e ganhar mais um tempo em NYC? PS: Não vamos fazer compras.
    Obrigado

    • Oi, Adriano, me desculpe pela demora para responder. Além do blog, tenho também o site Viajar é Simples e a nova versão foi colocada no ar esses dias e estava ajustando muitos detalhes, acabei deixando o blog de lado umas semanas.
      Sobre sua viagem a primeira coisa a saber é que você precisa do visto canadense, e detalhe, não pode ser a autorização eletrônica, tem que ser o visto mesmo, a autorização eletrônica só vale se a entrada no país for de avião, pela fronteira terrestre precisa ser o visto de sempre. (Mais infos aqui: https://viajaresimples.wordpress.com/2015/03/27/como-tirar-o-visto-de-turista-para-o-canada-sozinho/).
      Se você e sua família já tiverem ou quiserem tirar o visto, acho que vale a pena pelo menos ir até Montreal sim. Acabei de escrever sobre Niagara Falls no site (você pode ler aqui: http://viajaresimples.com.br/news/tudo-sobre-a-incrivel-niagara-falls-canada/) e explico a divisão das Cataratas. Na verdade, as quedas mais expressivas ficam do lado canadense e podem ser vistas da calçada mesmo quando você anda na rua do lado Canadá. Se você estiver do lado dos EUA também consegue ver as quedas do lado canadense, só não consegue chegar muito perto caminhando, tem que fazer um passeio de barco. Sobre a cidade em si, não sei muita coisa, não parei na Niagara Falls americana. Mas posso dizer que a canadense, é bem animada, principalmente, para as crianças, tem muitos parques de diversão e outros atrativos.
      Do caminho de Niagara Falls até Montreal tem Toronto, que adorei, achei uma cidade bem cosmopolita (aqui tem um texto sobre a cidade: http://viajaresimples.com.br/news/toronto-pela-primeira-vez/).
      E, se for passar em Boston, eu indico dar uma esticadinha até Nashua, é o paraíso das compras sem impostos (post aqui: https://viajaresimples.wordpress.com/2017/06/01/compras-sem-impostos-perto-de-nova-york-e-boston/).
      Espero ter ajudado, qualquer dúvida, me avisa. Dá uma olhadinha no site também (www.viajaresimples.com.br), por lá você consegue fazer suas reservas pelo Booking e ainda clicando no banner da Vital Card compra o seguro viagem da família e ajuda o site e o blog a continuarem existindo 🙂

  7. Olá! Vou locar um carro em Vancouver e ir até Seattle. Vou devolver o carro em Vancouver, é necessário pagar alguma taxa à locadora no Canadá por entrar com o carro nos EUA? Obrigada!

    • Oi, Larissa, infelizmente, sim! Fica muito mais caro locar o carro em um país e devolver em outro do que ir para outro país e voltar de carro. Eu cheguei fazer a cotação p pegar o carro nos eua e devolver no Canadá e voltar de trem, mas não compensava.

  8. Olá. Excelente viagem e post. Referência no Google. Farei uma viagem bem parecida. Infelizmente não possuo visto canadense e irei de avião p o Canadá. Poderia avaliar meu roteiro? Viagem será em março, passagem para boston. Total de 16 dias. Pretendo ficar 2 dias em boston, 6 em NYC, daí parto de avião para Montreal, fico 3 dias, de carro vou p ottawa 2 dias, Québec 2 dias, volto p Montreal e pego avião p boston no último dia. Tens dicas adicionais.? Viajarei com minha esposa e filha de 1 ano. Acha que precisa de carro dentro de Montreal?

  9. Olá.
    Parabéns pelo Post.
    Ótimas dicas e relato muito rico em detalhes.
    Estou planejando ir de Toronto a NYC em Novembro de carro (avião e trem muito caros), mas estou um pouco receoso por conta que estarei com meu filho de 1 ano.
    No seu caso, como foi tranquila a viagem, você indicaria essa viagem, ou pelo fato de estar com bebê o melhor mesmo é ir de avião?
    Um abraço

    • Oi, Marcelo. Não vejo problema se o seu filho for. Há paradas em quase todo o trajeto e as rodovias são excelentes. A única coisa é que ele pode ficar um pouco aborrecido com as horas de estrada, como qualquer criança. Boa viagem!

  10. Minha filha(13 anos) vai em julho para o EUA, passar férias na casa de uma amiga ( brasileira), e a mesma pediu para tirar visto canadense que vão de carro para Canada, então é um visto especifico?

  11. OLá, muito legal a viagem de vocês!! Parabéns!!
    Precisa de um seguro especial de carro quando se aluga o carro nos EUA e transita também pelo Canadá?

  12. Olá, adorei o post! Estou planejando fazer Rio – Toronto, ficar alguns dias em Toronto e depois pegar a estrada e ir para os Estados Unidos, minha irmã mora perto de Detroit. No caso, se eu alugar um carro em Toronto e ir para os Estados Unidos, tendo o visto americano, passaporte em mãos e os documentos do carro alugado, será que é tranquilo? Ou podem pedir mais algum documento? Ah, estarei com a minha filha de 4 anos.Obrigada!

    • Oi, Luciana. Que bom que gostou do post. Na fronteira dos EUA só pedem mesmo o passaporte com o visto como documento. Caso eles desconfiem de algo podem pedir comprovante que você vai ficar em um endereço x, algo que comprove que você tem condições de arcar com sua estadia, como dinheiro e cartões que tiver e passagem de volta para o Brasil. Mas, costumam ser bem tranquilos nas fronteiras terrestres ente EUA e Canadá.
      Só uma ressalva sobre sua saída do Canadá, se você for utilizar a autorização eletrônica para entrar no país por via aérea, veja se não há problema em sair por via terrestre. A regra é que a autorização só é válida por via aérea, não sei se isso te daria problemas na saída. De qualquer maneira, se você tiver o visto tradicional canadense para turistas, não se preocupe, ele é válido para qualquer tipo de saída. Se quiser tiver a dúvida sobre a autorização eletrônica, os canais são: mailapp.cansao@vfshelpline.com (e-mail) e (11) 4314 1170.

  13. Sylvia, bom dia. Gostaria de sua ajuda. Será nossa primeira viagem para NY (eu e meu esposo). Passaremos 11 dias. Nosso retorno para o Brasil será por NY, então teremos que voltar para lá. Pensava em fazer Washington e Pennsylvania, mas depois de ler seu post, fiquei sem saber o que fazer. rsrs
    A nossa prioridade é NY, para conseguir realmente conhecer a cidade, por isso não pensamos num destino muito longo. Mas ao mesmo tempo, queremos conhecer outros locais próximos, já que temos muitos dias para ficar apenas em NY. Poderia nos ajudar com indicações de um roteiro? Como será uma viagem de casal, apenas, queríamos algo bem diferente, com visuais diferentes e opções de passeios variados. Na volta, pensamos em ter pelo menos 1 ou 2 dias em NY antes e voltar ao Brasil.
    Amei seus posts. Já está em meus favoritos!

    • Oi, Simone, td bem? Fico feliz que meus textos tenham inspirado sua viagem! Então, acho que a época do ano que irá pode ajudar a criar um roteiro. Se for no inverno mesmo, pode tentar se hospedar em algum local de esqui no Estado de Vermont, dá para alugar um carro e ir. Porém, se for na primavera ou verão, tem um roteiro que eu ainda não fiz, mas gostaria muito de fazer. Um pouco acima de NY tem o Estado do Maine, eu até cogitei ir para o local nesta viagem, mas acabei trocando por mais dias no Canadá já que era inverno. Mas no Maine tem a capital Portland (tem outra em Oregon, que é do outro lado do país, confunde um pouco na hora de pesquisar). A cidade é cheia de faróis no mar e paisagens que eu acho bem bonitas. Você pode consultar o site oficial de turismo da cidade: https://www.visitportland.com/. Eu acho que alugar um carro e ir até lá, cerca de 500 km, deve ser uma viagem bem bonita, ainda mais se você for pelo litoral (a distância aumenta um pouco). Ainda, dá para fazer uma paradinha para dar uma olhada em Boston. Me diz o que acha, caso não goste, podemos pensar em outra coisa juntas 🙂

      • Olá Sylvia, obrigada pela resposta. Mas nossa viagem será entre 21/11 e 02/10/2018. Nesse caso, pegaremos inverno né? A ideia da estrada é que nunca fizemos uma viagem longa de carro e pensamos que seria interessante. E depois de ler seu blog, tivemos a certeza! 😉 Mas queríamos que tivesse um grande atrativo, como uma linda paisagem, paradas interessantes no caminho. Até porque não temos prática de direção no inverno congelante dessa região. Então não faremos tão corrido, prezando por nossa segurança. O que me chamou a atenção nessa viagem que fizeram foi de conhecer outros locais, mas que também não seja de uma forma tão corrida. Enfim, estamos com mais dúvidas que certezas. Mas não queremos ficar tooodos esses dias em NY, por acharmos muito tempo e também tem uma estadia muuuito cara.
        Nos ajuda????

      • OI, Simone. Acho que teve um erro de digitação na data, mas entendi que irão ficar em NYC entre 21 de novembro e 02 de dezembro, é isso? Não é tão comum nevar em NYC nesta época, mas a temporada de esqui começa nas estações dos EUA e Canadá no fim de novembro se nevar nas estações. Neste caso, você poderia dirigir até uma estação de esqui de Vermont, caso não queira sair dos EUA. Tenho uma amiga que mora no Estado e posso pedir indicações para ela. Caso você prefira ir para o Canadá, como eu fui, pode ir Sutton, eu amei, é bem pertinho da fronteira. A única coisa é que, se for para o Canadá de carro, precisa do visto canadense. A autorização eletrônica para entrada no Canadá só é válida para viagens de avião, via terrestre, tem que ter o visto, não seis e você já tem. Sobre dirigir na neve, quem não conhece fica com mais medo mesmo, mas as estradas e os carros são bem preparados. É muito diferente dirigir 800 km em um dia em estradas brasileiros do que dirigir tudo isso em rodovias dos EUA e Canadá, são muito melhores e todos os carros para alugar são automáticos. Me avisa se precisar das dicas de Vermont, Sutton e de como tirar o visto canadense.

  14. Olá Sylvia, isso mesmo, errei na data. Nós não temos o visto Canadense. Pensei em tirar, mas só quando decidir a rota. Não conhecemos nada naquela região, por isso tantas dúvidas. rsrsrs
    Gostaria de pegar a estrada, isso temos certeza. Mas queria que fosse a viagem que tivesse a melhor vista, as coisas mais interessantes elo caminho. Entende? Por isso que queria sua indicação, nesse sentido.

  15. Oi, Simone, neste caso, acho que por ter apenas 11 dias, talvez fique corrido ir até o Canadá. Acho que você poderia ficar uns seis dias em NYC, pelo menos, e tirar o restante para ir até o Estado de New Hampshire ou de Vermont. Passei por ambos de carro e achei bem bonito. São Estados cheios de montanhas e lagos, no inverno, pelo menos os topos das montanhas estão cobertos por neve. Aqui você encontra infos oficiais de Vermont: https://www.vermontvacation.com/seasons/winter e aqui sobre New Hampshire: https://www.visitnh.gov/ – New Hampshire, inclusive, é um Estado com muitos parques, tem um site muito bom que você escolhe o parque a visitar pelo tipo de atividade que quer fazer (http://www.nhstateparks.org/#). Eu passei pelo Franconia Park e da rodovia já dá para ver que é lindo. Acredito que tanto em Vermont como em New Hampshire haja bons hotéis de montanha para curtir o frio e uma lareira. Porém, se quiser mesmo subir até o Canadá, bem pertinho da fronteira, tem a região de esqui de Mont Sutton, na qual passei um fim de semana (http://montsutton.com/en/). A estação é linda, no topo da montanha e tem a pequena cidade de Sutton aos pés, há hotéis bem pequenos e charmosos e algumas microcervejarias. Para completar, ainda dá para ir a uma cidadezinha ao lado que tem um spa para passar o dia com piscinas de água bem quente. Preciso mesmo fazer um texto do local, posso te mandar links se tiver interesse. Bjs

  16. Pingback: Boa notícia: Leitores do blog têm desconto em compras nos EUA | Viajar é Simples

  17. Oi, pessoal
    Muito legal o post!
    Apenas um adendo: há um acordo de cooperação entre os países da Organização dos Estados Americanos (OEA) em matéria de trânsito, então a Permissão Internacional para Dirigir (PID) não é necessária na maioria dos países do nosso continente. Antes de viajar, tem que checar se o país para o qual você está indo exige a PID, mas Brasil e EUA são signatários desse acordo, basta apresentar a CNH válida junto com o passaporte).
    BjoO,

  18. Olá, boa tarde. Estarei indo agora dia 03/08 de NY para Niágara e depois para Washington, tudo de carro. Estou na dúvida sobre os pedágios: Saberia me informar se preciso alugar na locadora do veículo o Platepass? ou se os pedágios tem cabines para pagar em dinheiro? Obrigado pela ajuda e parabéns pelo site!!

    • Oi, Gustavo, obrigada. No nosso caso, todos os pedágios tinham cabine com atendentes para pagamento em dinheiro (ao contrário do que acontece em alguns pedágios da Flórida, por exemplo, que têm cabines c atendimento automático apenas). Porém, o uso do Platepass, pelo menos no nosso carro, era automático, ele já estava lá, se a gente usasse um dia, pagava a diária do dia usado + o valor do pedágio q usou aquele dia (isso na fatura do nosso cartão de crédito). Por isso, fique atento, escolha apenas em caixas q aceitem apenas dinheiro, caso vc erre o caixa, o carro passa, mas vc paga o dia de uso no teu cartão. Espero ter ajudado! Boa viagem

      • Muito obrigado pela ajuda. Fiquei na dúvida, porque realmente na Flórida temos esse caso de cabines automáticas apenas. E a locadora que vou alugar em NY é a Dollar, que ficou com o preço bem mais em conta que as demais, porém eles oferecem como opcional o Platepass.

  19. Minha cara queria agradecer o seu post que é muito bom. É que em breve vou fazer esse percurso também, de NY para o lado Canadeense. Fiquei com uma dúvida esses caixas das portagens se dermos o cartão não aceitam para pagar o pedágio, tem mm de ser dinheiro vivo? E na fronteira de entrada vcs tiveram de sair do carro ou todo o processo é dentro do carro falando pela janela?
    Obrigada por sua partilha, se vier a Lisboa um dia me diga que lhe passo dicas também.

    • Oi, Elionoro, fico feliz que gostou do meu post. Nós pagamos tudo em dinheiro, mas são poucos pedágios, não sei se aceitam débitos ou cartões. Algo que você pode fazer é usar o aparelho da locadora que permite passagem livre nos pedágios, você passa direto e eles debitam no seu cartão cadastrado na locadora. Porém, o uso desse aparelho tem um custo de alguns dólares por dia de uso. Sobre a passagem pelas fronteiras, tanto na entrada do Canadá como nos EUA não precisamos sair do carro, só viram os passaportes, carimbo e fizeram algumas perguntas bem rápidas. Quando eu for conhecer Lisboa, quero sim suas dicas. Boa viagem!

      • Obrigada! Já agora vc pagou as portagens na chegada ao Canadá com dinheiro americano ou canadense (penso não ser o mm mas não sei se aceitam dólares no Canadá).

      • Oi, Elionora, na fronteira não tem pedágio pelo q eu lembro, porém, no Canadá, paguei os pedágios c dólares canadense. Só q tem quase nada de pedágio lá. Se vc levar uns 50 dólares canadenses, só p garantir, está ótimo.

  20. Boa noite irei viajar para o Canada.. e depois pretendo ir de carro.. para os EUA.. gostaria de saber se com a ETA e ESTA já consigo acessar os EUA.. ou se preciso realizar o visto canadense .

  21. Boa Noite, Tudo bem. Achei seu roteiro ótimo, vamos fazer o mesmo so que chegando em Montreal. Iremos eu, esposa e duas filhas pequenas.
    Minha duvida é, pq a escolha de Mont Sutton, Nashua e Central Valey para parar entre Quebec City e NYC?
    O trecho é bem grande para fazer de uma tirada tendo duas crianças pequenas juntas, estamos procurando cidades para fazer um pit stop no caminho.

    Belo blog, parabéns!

    • Roberto, fico feliz que gostou do blog. Paramos em Sutton pq queríamos aproveitar a oportunidade para esquiar e, pesquisando, ela estava bem posicionada. Sobre Nashua, escolhemos pela questão das compras sem impostos no Estado, meu marido ia comprar uns eletrônicos e compensa. Sobre Central Valley, queríamos ir ao outlet e, para ficar c o carro em NYC não compensava, então passamos antes de voltar p cidade, na qual ainda tínhamos uns dias. Para trajetos menores, sugiro alguma cidade às margens do rio São Lourenço, ainda no Canadá, como Trois-Rivieres. Se quiser, pode parar em alguma cidade do Estado de Vermont, que fica bem na fronteira. Depois, uma boa pedida, caso não queira ficar em Nashua, pode parar em Boston, Providence ou Albany (q é a capital de NY). Essas eram outras opções que pensei e pesquisei. Espero ter ajudado. Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s