Pedacinho do Japão em Nova York

O The Kitano fica em plena Park Avenue, pertinho da Central Station

Talvez esse título não faça jus ao The Kitano Hotel New York City. Me hospedei nele em março deste ano (2017) e percebi que, apesar de ser um hotel de tradições japonesas, ele não é só isso. É também bem localizado, o atendimento é excelente, os quartos são confortáveis, a arte está por todos os lugares, a gastronomia é rica e ainda tem um bar que toca jazz. Para completar, tem toda uma bagagem histórica, já que é um prédio do século 19 que pertencia à família Rockfeller e foi adquirido pelo Kitano Group há pouco mais de quarenta anos.

Ao entrar no lobby, toda a formalidade é quebrada com a escultura “Perro” do artista Fernando Botero. Em um ambiente sério e sofisticado, o cachorro gordinho do artista colombiano serve para dar uma recepção calorosa e sofisticada. Aliás, também é uma figura de superstição. Dizem que passar a mão na barriga do “cachorro” atrai sorte. Já colocar as mãos na orelha ajuda a encontrar sua alma gêmea e tocar na língua dourada ajuda a ganhar dinheiro. A notícia ruim é que só pode escolher uma dessas partes para tocar.

Lobby do The Kitano com escultura Perro, de Botero

Vista da Park Avenue

Subindo para o quarto

Depois de me encantar com a escultura do cachorro, fui para minha acomodação. O hotel tem 150 apartamentos com diversas classificações diferentes, entre quartos e suítes. O meu era um Premier Room espaçoso e com uma vista linda da Park Avenue e da rua 38.

A cama era confortável e grande. As cortinhas não deixavam a luz externa entrar e as janelas bloqueavam os ruídos da barulhenta Nova York. Sendo assim, após horas de voo, consegui cochilar e renovar as energias em plena manhã para enfrentar um dia de muita andança na cidade.

No quarto tinha, ainda, um sofá bem confortável e closet com armário. Eu estava acompanhada do Rodrigo, que é meu noivo e faz as fotos do blog, e nossas malas couberam bem no espaço.

Meu quarto, categoria Premier Room

Vista linda do meu quarto

Armário do closet

Selo Viajar é Simples: testado e aprovado!

O banheiro tinha seu próprio destaque. Além de banheira, água bem quentinha e espelho com iluminação incrível para fazer maquiagem. Mas isso não é tudo, pessoal. A surpresa mesmo, pelo menos a minha, ficou por conta do vaso sanitário. Se você morou ou já freqüentou casas antigas já deve ter visto um bidê. É aquele objeto sanitário que ficava sempre ao lado do vaso com uns chuveirinhos para lavar as partes íntimas.

Pois bem, o The Kitano investiu um bom dinheiro para colocar vasos sanitários chamados Toto Toillet e foi o primeiro na cidade a instalar algo do tipo. E o que é isso? Basicamente, é um vaso sanitário com funções de bidê automatizado. E, para ficar melhor, o assento do vaso é aquecido. No início, achei estranho. Ao lado do vaso tem um painel eletrônico e você pode escolher a inclinação de um jato de água que sai do vaso, sua intensidade e se ele irá lavar a sua parte íntima frontal ou traseira, se é que me entendem. Claro, depois disso, o vaso ainda vai soltar um ventinho para secar o lugar que ficou molhado. Fiquei passada.

Amenities cheirosos

Cenas do banheiro

Toalhas bem confortáveis

Adoro quando tem roupão!

Painel de controle das funções do vaso sanitário moderninho

 Café da manhã e gastronomia

O café da manhã é servido no restaurante Jazz at The Kitano. Ele não está incluso nas tarifas regulares, mas há a possibilidade de incluí-lo em alguns tipos de diária. O The Kitano nos ofereceu o café da manhã e foi o momento que o mais senti as tradições japonesas. É um buffet dividido em duas partes: comida americana e gastronomia japonesa.

Eu não tinha ideia, mas os japoneses comem no café da manhã coisas que também consomem em outras refeições, como peixes e saladas. Como não é “minha praia”, curti mais a parte do café da manhã típico dos Estados Unidos: panquecas, ovos, bacon (deliciosos), pães e cereais. O café também inclui sucos, chás, café e leite. Outras bebidas, como o cappuccino que pedi, são cobradas separadamente.

Eu não tive tempo de ir, mas o The Kitano Hotel tem um restaurante japonês bem tradicional, o Hakubai, ao estilo Kaiseki, inspirado na filosofia zen-budista e regado a muito chá e que serve almoço e jantar. Para completar, o restaurante Jazz, do café da manhã, tem jazz ao vivo todas as noites de segunda a sábado. O local também serve jantar todos os dias, além de brunch aos domingos.

Jazz at The Kitano

Aqueles doces deliciosos de cafés da manhã dos EUA

Café da manhã japonês e americano no Jazz

 Localização

Eu sempre procuro hotéis bem localizados quando viajo, principalmente, nas grandes cidades. A localização do The Kitano é incrível, fica a quatro quadras da bela e histórica Central Station. Aliás, se precisar usar o metrô, é só caminhar até ela. Ele também fica pertinho do Empire State Building, imperdível para quem vai pela primeira vez à cidade. Alguns quartos e a área de eventos têm uma visão linda do prédio que já foi o mais alto de Nova York.

O The Kitano fica pertinho do Empire States, do terraço dá para ver o famoso prédio

 Um hotel Preferred

Quando nos hospedamos em um hotel de rede que já conhecemos, temos noção do tipo de instalação e serviços que encontraremos. Ao escolher uma propriedade que não pertence a nenhuma rede é difícil saber o que encontraremos. Apesar do The Kitano Hotel ser independente, ele é membro da Preferred Hotels & Resort Lifestyle, um grupo que reúne diversos hotéis ao redor do mundo. A Preferred tem uma filosofia a ser seguida e padrões de qualidade que os empreendimentos que querem fazer parte de sua cadeia devem cumprir.

Quando me hospedo em um hotel Preferred espero algo sofisticado e com atendimento impecável, apesar de saber que cada propriedade tem suas particularidades. O The Kitano Hotel é singular em sua tradição japonesa e a combina com todo o padrão Preferred.

Mimos no quarto

Serviço

Diárias: em NYC as diárias variam muito de acordo com a época do ano. Em junho de 2017, por exemplo, podem ser encontradas tarifas a partir de US$ 309 para casal, já em uma cotação para janeiro de 2018, há diárias a partir de US$ 177.

Endereço: 66 Park Avenue, East 38th St

Site: www.kitano.com

Texto: Sylvia Barreto

Fotos: Rodrigo Barrionuevo e Sylvia Barreto

*Hospedagem a convite da Preferred Hotels e do The Kitano Hotel

Anúncios

Um comentário sobre “Pedacinho do Japão em Nova York

  1. Pingback: Dica de hotel incrível em Quebec, o Auberge Saint-Antoine | Viajar é Simples

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s