Pelas vinícolas de Mendoza

Mendoza é responsável por 70% da produção de vinho na Argentina

Mendoza é responsável por 70% da produção de vinho na Argentina

O Estado de Mendoza é responsável por 70% de toda a produção de vinhos da Argentina. São mais de 900 vinícolas espalhadas por lá. A capital também chama Mendoza e passou a ter voos diretos da Gol saindo de São Paulo desde  04 de julho, no qual eu embarquei. As vinícolas perto da capital se dividem em três regiões: Luján de Cuyo, Maipu e Valle de Uco. Eu já conhecia o destino e na minha viagem anterior explorei mais o Valle de Uco, desta vez, visitei vinícolas de Luján de Cuyo e Maipu, já que há dezenas delas abertas para receber turistas.

Conto aqui os passeios que fiz e as bodegas que visitei. Acompanhe!

Passeio misto

Vinícola Navarro Correas

Vinícola Navarro Correas

Um tour bem interessante e que mostra um pouquinho das melhores coisas de Mendoza foi o que fiz com a agência Kahuak. Ele se chama Vino y Oliva porque além de vinícolas os turistas também são levados à Pasrai, uma empresa de produção de azeite que eu já conhecia, mas valia pena ver de novo. Mendoza é também uma grande produtora de azeite já que naquelas terras as azeitonas se desenvolvem com facilidade.

Para começar o dia, a primeira vinícola a ser visitada é a tradicional Navarro Correas, marca de 1800. Após a visita e explicação sobre a produção de vinho, é hora de experimentar. São três taças de diferentes vinhos para cada pessoa. O meu preferido foi o espumante rose. As garrafas podem ser compradas lá também, mas só aceitam pesos argentinos.

Vinhos Navarro Correaa

Vinhos Navarro Correas

Adorei esse espumante rosé da Navarro Correas

Adorei esse espumante rosé da Navarro Correas

Degustação de três vinhos na Navarro Correas

Degustação de três vinhos na Navarro Correas

Após a visitação na Navarro Correas, foi hora de seguir para a Pasrai. O que eu gosto na empresa é que tem uma lojinha com todos os azeites e ainda com pasta de azeitona, de tomate e vidros de tomate seco. Tudo uma delícia e eles aceitam peso, dólar ou real. Uma festa. Também podemos ver o local onde o azeite é feito e até a produção, se for época dela.

 

Pasrai: produção de azeites

Pasrai: produção de azeites

A Pasrai também vende seus produtos em loja própria

A Pasrai também vende seus produtos em loja própria

Loja Pasrai

Loja Pasrai

Outra vinícola visitada antes do almoço foi a Luigi Bosca, que fica em Luján de Cuyo. Aliás, as vinícolas de Mendoza ficam, geralmente, em Maipu, Luján de Cuyo e Valle de Uco. As duas primeiras regiões são bem próximas da capital, coisa de 15 minutos de carro. Já o Valle de Uco é mais afastado, uma hora pelo menos. Dessa vez, não fui ao Valle de Uco, mas na outra viagem sim, pode ver aqui. Voltando à Luigi Bosca, ela também é bem tradicional, de 1901. Dentre as marcas que produz, eu já conhecia e gosto muito da Finca la Linda. Os outros rótulos são Luigi Bosca mesmo e Los Nobles.

Degustamos mais vinhos e, para mim, todos foram muito bons. Na loja dá para comprar em dólar ou peso argentino. Mas não achei a cotação do dólar tão boa.

Visita ao local no qual o vinho é armazenado na Lugi Bosca

Visita ao local no qual o vinho é armazenado na Lugi Bosca

Mendoza (7)

Bela paisagem na vinícola Luigi Bosca

Bela paisagem na vinícola Luigi Bosca

Produção de vinhos na Luigi Bosca

Produção de vinhos na Luigi Bosca

Depois de tanto vinho, o esperado almoço que era um piquenique na bodega Alta Vista, também em Luján de Cuyo. Achei as instalações dessa vinícola bem bonitas, os jardins são cheios de mesinhas e tem mantas com almofadinhas pela grama. O piquenique é feito em fases e acompanhado de vinho, claro. Primeiro servem uma bandeja com salada, frios e uma quiche pequena. Depois é a vez das empanadas e, por fim, a sobremesa. Bom, a quantidade de comida é satisfatória, mas eu sou gorda e havia bebido muito vinho, por isso gostaria de ter comido umas cinco empanadas ao invés de duas, que é a quantidade por pessoa. No meio da tarde o passeio termina e os turistas são deixados em seus hotéis. Todo o trajeto é feito de van.

Piquenique na vinícola Alta Vista

Piquenique na vinícola Alta Vista

Apesar do frio, o dia estava lindo

Apesar do frio, o dia estava lindo

A Alta Vista tem jardins ideais para um piquenique

A Alta Vista tem jardins ideais para um piquenique

Mendoza (10) Mendoza (11) Mendoza (14) Mendoza (15) Mendoza (16)

Tour de vinícolas com almoço harmonizado

Com a empresa Sak Wine Travel, parti para um tour de vinícolas. Esse passeio é um pouco mais reservado. Era só um carro mesmo, com o motorista, a guia, a Katia (fotógrafa e minha amiga) e eu.

O roteiro consistia em visitação em três vinícolas de Luján de Cuyo: Achaval Ferrer, Carina E e Ruca Malen. A Achaval Ferrer tem um cenário encantador e vinhos deliciosos. Muitos deles só podem ser comprados ali na bodega de Luján de Cuyo. A degustação é feita em uma sala, com poucas pessoas e depois passamos pelo local onde o vinho é produzido. Prepare-se para gostar de cada rótulo. Se quiser levar algum para casa, é bom reservar, pelo menos, 500 pesos argentinos.

Vista da Achaval Ferrer

Vista da Achaval Ferrer

Mendoza_Achaval_01

Degustação na Achaval Ferrer

Rótulos (deliciosos!) da Achaval Ferrer

Rótulos (deliciosos!) da Achaval Ferrer

A Carina E é um vinícola mais simples, de donos franceses que compraram uma antiga bodega fechada e lançaram essa marca. Nem todas as uvas são de produção própria, algumas são compradas de outros produtores, até da cidade de Salta, bem ao norte do país. Os vinhos são agradáveis e os preços bem convidativos. Tem garrafa a partir de 75 pesos argentinos.

Carina E

Carina E

Mendoza (20)

A última vinícola do dia seria também a do almoço com pratos harmonizando com vinhos. A Ruca Malen produz vinhos com o mesmo nome do grupo e também rótulos de Yauquen e Kinien. Das vinícolas que visitei nessa viagem, a Ruca Malen é a que tem paisagem mais linda, com vista para o vulcão Tupungato. Ele fica na Cordilheira dos Andes e tem o pico nevado. Inclusive pode ser visto do restaurante da Ruca Malen, que tem paredes de vidro.

Após visitação na vinícola, começou a ser servido o almoço. Ele tinha cinco passos e todos os pratos eram harmonizados com vinho. Desculpe te decepcionar, leitor, mas eu sou péssima com harmonizações, não tenho paladar para isso, prefiro fazer apenas a degustação do vinho. Sendo assim, não apreciei tantos os vinhos como deveria, deixei muita bebida nas taças e me concentrei na comida.

Ruca Malen com vista para o vulcão Tupungato

Ruca Malen com vista para o vulcão Tupungato

Restaurante da Ruca Malen

Restaurante da Ruca Malen

Mendoza (25) Mendoza (27) Mendoza (30)

Pratos da harmonização

Pratos da harmonização

Sobremesa de doce de leite com chocolate, tem como ser melhor?

Sobremesa de doce de leite com chocolate, tem como ser melhor?

Mendoza (32)

Na volta para Mendoza, eu só queria saber se dormir um pouco, fazer a siesta. Aliás, Aliás, por ali todo mundo faz a siesta das 13h00 às 15h00, pelo menos. Nas cidades tudo fecha nesse horário, mas depois o comércio reabre e funciona até tarde.

Em próximos textos, vou dar dicas de hotel, compras de vinho e até cassinos, eles são abundantes na cidade.

Texto: Sylvia Barreto

Fotos: Katia Ricomini

*Viajei após ganhar a viagem com acompanhante em sorteio durante coletiva de imprensa da Gol. O prêmio incluía passagens áreas, hospedagem e todos os passeios mencionados nesse texto

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s