Um bom país para viver

Granville St., uma das ruas mais movimentadas de Vancouver tem gramado aritifical e cadeiras em ótimo estado para os pedestres sentarem

A frase do título ouvi no banco de um táxi dirigido por um motorista da Índia quando estava em Vancouver, Canadá, há dois meses. Todos os taxistas que encontrei não eram canadenses, fora que na cidade o número de chineses e seus descentes é gritante. Intrigada com a questão, perguntei a esse senhor a razão pela qual isso acontecia. A resposta dele: é um bom país para viver.

Relembrei o fato quando assistia há alguns minutos um debate entre os candidatos a governador do estado de São Paulo, o mais rico do Brasil. Um deles promete a redução de impostos e a prática de fazer com que o consumidor saiba quanto paga de taxa em cada produto. E pensei que um dos motivos do Canadá ser um bom país para viver deve ser que por lá cada cidadão sabe o quanto paga de imposto em cada produto. Pelo menos tudo que comprei na província de British Columbia, na qual fica Vancouver, tinha taxa de 10%. O valor marcado nas prateleiras dos supermercados, nos cardápios dos restaurantes ou nas etiquetas da loja era um, mas quando ia pagar as compras, tinha que acrescentar os 10%. No começo você pode até achar estranho, mas saber exatamente o quanto paga em cada produto é um alívio. Consegue definir que 10 dólares canadenses é o valor de uma refeição e que um dólar canadense é o imposto que paga por aquele prato. E o quão longe estamos nós, os brasileiros, de saber quanto realmente vale tudo que consumimos todos os dias?

E se pensarmos em cidades sustentáveis, Vancouver então dá um banho em São Paulo. ou em qualquer outra cidade brasileira.  Trocar o carro pela bicicleta por lá é muito fácil já que há ciclovias para todos os lados e que os ônibus têm local adaptado para pendurar a bike.

E mais, o metrô não tem catraca, assim como em outras cidades do mundo. Em Vancouver cada um compra o seu bilhete em um terminal automático e paga de acordo com a região que irá, se for mais longe, o valor é maior. O usuário tem um tempo máximo para usar cada passagem que adquire e praticamente não há fiscalização. Mesmo assim, todo canadense compra direitinho. E, o melhor, sair do centro do município e ir para os vizinhos leva meia hora, em média. É como se houvesse metrô da Avenida Paulista, em São Paulo, até Guarulhos. Que sonho para uma paulistana que não consegue nem visitar a amiga que mora no bairro do Campo Limpo sem ter que pegar ônibus! Para completar, durante os trajetos que fiz não vi uma única favela. Mesmo as casas mais simples eram bonitas.

Vancouver é realmente uma cidade linda e privilegiada pela natureza. Mas o Brasil inteiro também tem esses mesmos requisitos e podemos ser iguais a qualquer país desenvolvido e também ter estrangeiros morando aqui porque acham que é um bom lugar para viver e não porque fogem de locais ainda piores.

Sylvia Barreto

Um comentário sobre “Um bom país para viver

  1. Eu concordo com tudo que foi dito, e digo que realmente Vancouver é uma cidade maravilhosa, perfeita para se viver bem.
    Passar 30 dias nessa cidade foi a melhor experiencia que tive até hoje na minha vida.
    Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s